Institucional

O Consultório

Aqui vão algumas dicas sobre o funcionamento do consultório.

A primeira consulta

A consulta ao médico não é um ato rotineiro para o paciente. O cliente deve procurar marcar o horário mais adequado entre os existentes na programação do médico. Mas atenção a algumas situações:

Não marque sua consulta entre compromissos sociais. Fazer ginástica (13:00 horas), ir ao médico (14:00 horas), buscar o filho na escola (15:00 horas). Os limites do horário não permitirão o bom aproveitamento da consulta.

Não marque a consulta médica após ter sido submetido a uma tensão anterior. Por exemplo: tratamento dentário, ter ido à escola para saber do aproveitamento escolar do filho ou ter tido um atrito familiar.

Lembre-se: em São Paulo, o trânsito é habitualmente ruim. Se você está saindo com seu bebê, deve se preparar para isto (fraldas, material de higiene, cestinho, roupa, etc.). Marque a consulta na sua agenda em tempo de chegar com 15 a 30 minutos de antecedência e ficar na sala de espera, aguardando com tranqüilidade.

Se você é dessas pessoas que não agüentam esperar, ficando agitada, brigando com o ascensorista, a secretária, irritando os demais clientes e, com isso, travando de início um mau relacionamento com o médico, tome as seguintes providências:

- quando marcar a consulta, avise a secretária dessa sua dificuldade, informando-se se o médico atende normalmente no horário;

- meia hora antes de sair de casa, telefone e pergunte sobre o horário de atendimento.

Prepare-se para a consulta

Bem, agora que já está decidido que você vai consultar o médico, é importante fazer os preparativos para que a consulta tenha o melhor aproveitamento possível:

1) Faça um breve retrospecto de suas queixas em casa. Quando começou ? Que medicamentos já tomou ? Que exames fez ?

2) Relembre os principais fatos com a pessoa que irá junto à consulta (esposa, marido ou outro familiar). Discuta as dúvidas em casa, não na frente do médico. Quem deve relatar esses dados é sempre o paciente.

3) Leve todas as receitas ou nome de remédios que tomou. Na hora da consulta, dá aquele “branco” e a pessoa esquece nomes, quantidade de comprimidos, etc.

4) Leve os exames que já fez (de laboratório e outros). Leve tudo e deixe que o médico faça a seleção adequada do que ele precisa.

5) Se você acha que pode se esquecer de algo, não tenha vergonha: ESCREVA. Mas não se esqueça de trazer o que você escreveu, tá?

Na sala de espera

Muitas vezes, o médico atrasa no horário da consulta por fatos imprevistos, tais como chamadas urgentes, clientes que desejam informações por telefone, consultas que demoram mais do que o previsto, outros clientes que chegaram atrasados.

A tolerância no horário da consulta por parte do cliente já é um ato de gentileza para com o novo amigo que estava atendendo outros pacientes, que, também como você, estavam com dúvidas e preocupações. O médico sabe quando está atrasado. Se por qualquer razão, você não puder esperar mais, é melhor remarcar a consulta para outro dia.

A vontade de dizer "poucas e boas" para a secretária, para o médico, somente devido ao horário, acaba trazendo uma tensão a mais para a consulta, podendo fazer você esquecer detalhes importantes.

 

IMPORTANTE: DESLIGUE O SEU CELULAR ANTES DE ENTRAR EM CONSULTA.

Durante a consulta

IMPORTANTE. MANTENHA O SEU CELULAR DESLIGADO DURANTE A CONSULTA.

Conte ao médico as suas queixas, o que os traz à consulta.

Se o médico estiver examinando (auscultando, principalmente) você ou seu filho, não fale com ele. Ele está com o estetoscópio na orelha e empenhado em auscultar. Assim, não consegue prestar atenção aos dois, ao mesmo tempo. Espere que o médico termine de usar o estetoscópio e aí converse com ele. 

Ao final da consulta

Analise o que aconteceu na consulta e, antes de sair da sala, certifique-se que não há nenhuma dúvida a mais a ser esclarecida. Se houver, pergunte novamente.

O retorno deverá ser marcado. Então, faça-o já, antes de ir embora. Se for depois dos exames, pergunte à secretária se precisa marcar hora. Procure não faltar a uma consulta agendada. Quando você não puder ir à consulta, tente avisar com antecedência. Quando você não vem e não avisa, algum paciente em urgência deixa de ser atendido por falta de horário. Em algum momento, pode ser que seja você.

Vem um feriado prolongado ou fim de semana:

a) Como encontrar o doutor ?

b)Telefones de emergência (veja se já está impresso na própria receita).

Quando existe um número de BIP ou celular, ele deve ser usado em casos de urgência. Sempre tente comunicar-se, primeiramente, através dos telefones fixos. Quando em casa ou em seu consultório, o médico, habitualmente, desliga o seu BIP ou seu celular.

Como chegar ao consultório

O consultório fica em uma região de fácil acesso, bem próximo à Avenida Paulista e à estação do Metrô Trianon/Masp.

Se você vier de carro, existem diversos estacionamentos e áreas de Zona Azul bem próximos ao prédio Itapeva Medical Center. No próprio prédio há um estacionamento (não conveniado ao consultório).

Para quem vem do região central, uma dica é subir a Rua Rocha, logo depois de contornar a Praça 14 Bis, que fica abaixo do viaduto da Avenida Nove de Julho. A primeira à direita já é a Rua Itapeva.

Se você vem de taxi, não se preocupe com o retorno, pois existe um ponto de taxi em frente ao prédio.

Consultas e retornos

No consultório atendo pacientes na área de Pediatria e Homeopatia. As consultas terão sua periodicidade de acordo com as necessidades e as peculiaridades de cada situação.

Por exemplo, no 1º ano de vida as consultas são mensais pela necessidade de acompanhamento do desenvolvimento e para orientaçõs sobre alimentação, vacinação, vitaminas e outras questões. Entre o 1º e o 2º ano as consultas passam a ser trimestrais, depois semestrais e assim sucessivamente.

No caso da Homeopatia, onde atendo crianças e adultos, as consultas terão a frequência necessária para o bom acompanhamento de cada caso. A individualidade é uma das principais características da homeopatia.

Assim, ao final de cada consulta, na própria receita, combinamos para quando deverá ser marcada o próximo atendimento.

Porém, nem sempre tudo acontece conforme se espera e aparecem intercorrências. Nesses casos, após nosso contato, poderemos agendar uma nova avaliação, um atendimento de urgência.

Consideramos retornos as consultas realizadas em período inferior a 15 dias, mesmo que elas ocorram várias vezes nesse período. Por exemplo, se um recém-nascido necessitar de um controle de peso a cada 2 a 3 dias para que possamos orientar e estimular o aleitamento materno, marcaremos tantas consultas quantas forem necessárias até atingirmos o equilíbrio necessário. Dessa forma, elas não serão cobradas.

Porém, se fizemos uma consulta de rotina e houver uma intercorrência ou se fizemos uma consulta de urgência e depois passarmos a uma consulta de rotina e acompanhamento e o intervalo entre esses atendimentos for superior a 15 dias, será feita nova cobrança.

Os dez mandamentos

Guia espiritual para quem receita ou toma remédios 

 

I. AMARÁS A TUA SAÚDE SOBRE TODAS AS COISAS.
Nem sempre o remédio é tudo. É importante também cumprir fielmente todas as orientações adicionais à receita médica. Se assim for recomendado, esqueça o sal, diminua o açúcar, beba apenas socialmente, pare de fumar. Não deixe de fazer a consulta para revisão periódica de saúde. Enfim, amigo (a) cuide-se!

II. NÃO TOMARÁS TEU SANTO REMÉDIO EM VÃO.
Não tome remédio por conta própria, ao aparecimento de pequenos sintomas que desaparecem com simples mudanças de hábitos, boa alimentação, vida regrada e prática de exercícios saudáveis. Evite automedicação, mania que pode virar doença.

III. GUARDARÁS DOMINGOS E FESTAS DE GUARDA.
Descanse do trabalho e do excesso de responsabilidade. Repouso e lazer são ótimas vitaminas para combater o estresse. Custam mais barato e funcionam bem. Corpo e mente agradecem antecipadamente.

IV. HONRARÁS A RECEITA.
Siga o que diz a receita. Não aceite substituições indevidas na farmácia, cuidado com a "empurroterapia". Verifique o nome na caixinha, dosagem, quantidade, prazo de validade. Se houver dúvidas, peça sem constrangimento para falar com o doutor farmacêutico. Ele é a pessoa capacitada a lhe orientar e sua presença na farmácia / drogaria é obrigatória por decreto lei. Na hora de pagar, se achar necessário, confira o preço no Diário Oficial que deve estar no balcão. Em casa, deixe a caixinha do remédio em lugar bem visível, por exemplo, perto do local das refeições, mas longe do alcance das crianças. Assuma o compromisso sagrado de não esquecer, combine com alguém de casa mais lembrado para perguntar diariamente: "Já tomou o seu remédio, hoje?" Não suspenda o medicamento por sua conta. Em caso de reação adversa, comunique imediatamente ao médico. Certifique-se por quanto tempo deve tomar o remédio. Não economize comprimidos para que a cartela ou vidro dure por mais tempo. Toda vez que terminar de tomar a medicação, feche a embalagem, lave a colher-medida, assim evitará perda, estragos ou contaminações.

V. NÃO MATARÁS.
O medicamento que cura é o mesmo que pode matar. Não crie o hábito de indicar remédios. Uma sugestão leiga é arma perigosa e a vítima pode ser seu amigo. Com arma não se brinca, o tiro pode sair pela culatra. Só o médico tem esse porte de arma para legítima defesa da saúde e está devidamente habilitado para seu correto uso.

VI. NÃO PECARÁS CONTRA A CASTIDADE.
Não saia por aí seduzindo alguém para cair na sua receita. Resista à tentação de cantar as pessoas para que tomem exatamente os seus remédios. Só porque foi a um consultório, você não se diplomou. Não se considere autorizado a receitar só porque a crença popular diz que de médico e louco todos têm um pouco. Evite a ocasião de pecado. Afinal, dizem que o inferno está cheio de pessoas bem intencionadas que só queriam ajudar.

VII. NÃO ROUBARÁS O TEMPO DO MÉDICO.
Quando for à consulta médica, seja prático. Conte objetivamente sobre o que toma e o que está tomando, efeitos colaterais e se você costuma cumprir á risca o que lhe é recomendado. De preferência, leve uma listinha dos remédios e junte os últimos exames e receitas. Seja honesto, evite furtar o espaço de outro cliente, especialmente se você não pretende tomar o que lhe vai ser receitado.

VIII. NÃO LEVANTARÁS FALSO TESTEMUNHO.
Jure sempre falar a verdade, toda a verdade e somente a verdade para o seu médico, que não é sacerdote, mas é confessor. Não venha com a conversa de que o medicamento não faz efeito, só porque você não tomou direito. Não ponha a culpa no marido que não comprou o remédio, na esposa que não avisou na hora certa ou no médico que não explicou direito.

IX. NÃO DESEJARÁS A RECEITA DO PRÓXIMO.
Receita é como escova de dentes, cada um tem que ter a sua. Uma pessoa possui um organismo completamente diferente da outra. O que é bom para seu vizinho nem sempre é bom para você. Parente, amigo e conhecido não servem de modelo só porque um dia sentiram exatamente as mesmas coisas. Sem falar. que muitos remédios não devem ser tomados juntos com outros. Lembre-se que eles podem causar alergia, dor de estômago, náuseas, manchas na pele e com certeza, anemia ... no bolso.

X. NÃO COBIÇARÁS AS COISAS ALHEIAS.
Muita gente fica de olho nos regimes de emagrecimento instantâneo, vitaminas estrangeiras que combatem falta de memória, cansaço e envelhecimento, cremes eliminadores de celulite, remédios milagrosos de certas plantas. E quem não gostaria de se beneficiar deles ? Mas será que funcionam mesmo ? Um boa dose de credulidade nunca fez mal a ninguém. Antes de experimentar, pergunte qual a opinião do seu médico. Lembre-se que pode ser apenas um modismo, sonho passageiro como chuva de verão.

 

Prof. Dr. Max Grinberg - Médico cardiologista
Dr. George Washington Cunha - Farmacêutico

Instituto do Coração do Hospital da Clínicas

Conheça esses sites

Conselho Federal de Medicina (CFM)
http://www.portalmedico.org.br

Conselho Regional de Medicina - São Paulo (CREMESP)
http://www.cremesp.com.br

Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)
http://www.sbp.com.br

Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP)
http://www.spsp.org.br

Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB)
http://www.amhb.org.br

Associação Paulista de Homeopatia (APH)
http://www.aph.org.br

Associação Brasileira de Farmacêuticos Homeopatas (ABFH)
http://www.abfh.com.br

Associação Paulista de Farmacêuticos Homeopatas (APFH)
http://www.apfh.com.br

Associação Médico Veterinária Homeopática Brasileira (AMVHB)
http://www.geocities.com/amvhb

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)
http://www.anvisa.gov.br

Ética médica no site

Para que não pairem dúvidas quanto à seriedade deste site, coloco aqui os links sobre a legislação do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP) e do Conselho Federam de medicina (CFM) quanto aos Princípios Éticos relativos aos sites sobre Medicina na Internet. Esta legislação foi respeitada na elaboração e execução deste site e é respeitada em cada matéria ou participação minha em mídia leiga ou científica.

Você pode acessar os seguintes links para se certificar disso, se quiser:

Resolução sobre Sites de Internet na área Médica

Manual de princípios éticos para sites de medicina e saúde na internet

Parecer do Conselho Regional de Medicina sobre sites de Medicina na Internet

Manual de Publicidade Médica Resolução CFM nº 1974/11

Além disso, indico o link relacionado ao Código de Ética Médico do Portal do Conselho Federal de Medicina(CFM), para quem quiser saber mais informações.

Todos os capítulos são importantes porém acho interessante destacar, para o conhecimento de todos, o capítulo X que trata sobre o Atestado e Boletim Médico.

Além disso, vale acompanhar e conhecer Protocolo sobre as relações entre o médico e a indústria farmacêutica, também do site do CFM.

Aniversário do site

Dia 01° de abril, meu site faz aniversário. Há dez anos, quando colocamos a primeira versão do site no ar, poucos profissionais médicos apostavam em estratégias de comunicação que envolvessem a Internet. Nem mesmo os blogs, tão consolidados em outras áreas como ferramentas de comunicação, eram vistos como possíveis espaços de interação médico-paciente. 

Há uma década, eu já acreditava que a caminhada de mais de mil passos na Internet começava com a criação de um website e ela não terminaria nunca mais, pois uma ferramenta puxa a outra… Hoje, contamos com vários canais de relacionamento além do site: blog, fanpages, twitter, vídeos, áudios...

Em 2013, o site passou “por reformas”, mudamos seu visual e aprimoramos seu potencial tecnológico. Manter um site de Saúde no ar trabalhando em prol do paciente é uma missão árdua, me toma tempo todos os dias, requer comprometimento. Devido à facilidade tecnológica, cada vez é mais fácil criar uma página na web, qualquer pessoa pode criar um site e disponibilizar informações sobre saúde em qualquer lugar do planeta. A questão não é mais disponibilizar a informação, mas definir a credibilidade do autor e a relevância do que está disponível na Internet.

Hoje, ao completarmos dez anos no ar, desejo sinceramente completar mais dez, mais cem anos! A troca de experiências com os internautas, diariamente, é muito rica e eu só tenho a agradecer. Aprendi muito com todos e espero ter contribuído para tornar a Internet um ambiente melhor.

Destaco a seguir os textos mais acessados e comentados durante esses últimos dez anos:

01)  Alimentação complementar (6 a 12 meses)

02)  As diferenças entre as vacinas da rede pública e privada

03)  Sono do bebê

04)  Criança com menos de 1 ano não deve beber suco

05)  Alimentação na gravidez

06)  Crescimento

07)  Simplificando o "homeopatês"

08)  Aleitamento Materno

09)  Testes do pezinho, orelhinha, olhinho e coraçãozinho

10)  A hora do berçário

 

 

Dr. Yechiel Moises Chencinski

CRM-SP: 36.349

Médico Pediatra e Homeopata.